domingo, 29 de maio de 2011

Episódio 3# - parte 2

 Já estou em voo cruzeiro - quando o avião não está nem subindo nem pousando - estou com um pouco de frio tirei o cinto e peguei os braços do meu pai para me envolver, eu estou na janela e ele no meio, eu quero tentar dormir para mim não ver o tempo passar.
 De segundo em segundo eu olho o relógio para ver quanto tempo passou, mas foram apenas 2 minutos. Eu nem falei que roupa eu estou né? Então é uma roupa bem simples e normal, uma calça jeans preta - o que me deixa mais magra, sempre uso uso roupas que me deixam magricela quando estou em deprê - uma camiseta branca regata e uma camisa xadrez lilás por cima, estou com all star de brilhinhos roxo.
 Papai ainda não desistiu de dialogar, mas até que agora ela falou algo interessante.
 - Onde vamos ficar, na Barbiehry 1º ou na minha? - a Barbiehry é minha casa que papai biológico deixou para mim.
 - Nenhuma, eu pelo menos vou ficar na casa do tio Pudigurski. - respondi.
 - Mas e eu? Se ele não deixar eu ficar lá?
 - Se você quiser ficar lógico que ele vai deixar.
 - Mas e tem lugar para mim?
 - Pai - olhei fixamente nos olhos dele - a casa dele é tão grande quanto a minha - Barbiehry.
 - Mas e a esposa dele? Ela parece que não gosta da gente.
 - Papai, a casa é dele, ele é meu, você é meu pai, se eu pedir para ele deixar, ele vai deixar e ela não vai poder dizer nada.
 - Ele é seu é? - perguntou meu pai "tirando" com a minha cara.
 - Lógico que é - respondi séria, mas querendo rir. - agora me abraça que estou com frio, acho que já estamos na Europa - risinho, ele conseguiu.
 - Barbara faz nem meia hora que estamos aqui.
 - Aiin .. isso significa que falta mais de 1 hora para servirem o lanche, (deu uma risada, baixinha porque tinha gente do lado do meu pai).
 - Falei para você comer antes de vir.
 - Eu estou brincando, posso ir daqui até a França sem comer nada.
 - Mas não vai.
 - Vou sim.
 - Vai nada.
 Não respondi, deixei aquele chato no vácuo.
Postar um comentário