segunda-feira, 2 de maio de 2011

Episódio 2# - Parte 5

 Bom, aula de química Gabriel disse que é tenso, eu não tive ainda nessa escola. Ele disse que o professor George adora fazer piadinhas com as meninas e dar apelidos também, mas... Eu descobri que é o Edward que eu quero para vida inteira e estou pronta para enfiar a faca em quem vier.
  - Bom Dia! - chegou dizendo o professor de química.
  - Bom Dia! - respondemos.
 - Na aula de hoje vamos estudar as hipóteses de Dalton, Gay Lussac e outros. - disse ele já começando a aula e se deparado quem tinha uma aluna nova, no caso "EU". - qual seu nome querida?
 - Barbara, e o seu? - respondi.
 - George, sou professor de química.  De qual escola você veio?
 - Arizona, USA.
 - E o que está fazendo aqui? - berrou ele num susto.
 - Aqui é o pais natal dos meu pais adotivos. - respondi em voz baixa encabulada, eu estava morrendo de vergonha. Precisava gritar? - E eu tenho que terminar meu curso de policiamento no trânsito.
 - Continuando a aula, blá blá blá blá... - ele estava falando da lição que ele tinha pedido aula passada. Depois de longuérrimos minutos - Baah - o apelido que ele me arranjou - você sabe qual é a hipótese de Dalton?
 Eu não tinha certeza do que devia falar, então fiquei muda olhando para a cara dele. Eu estava sentada do lado do Edward e segurando a mão dele debaixo da carteira, então apertei as mãos dele.
 - Eu tenho que confessar. Eu sei que vocês meninas ficam olhando assim para mim, paralisadas porque eu sou lindo e ... - mudou ele de assunto.
 - Ih amor! Levanta ele não está te vendo - enfiei a faca e cortei ele, toda a sala disse "nuss" e depois um silêncio absoluto (eu disse amor, me referindo a Edward).
 Edward não disse nada, mas o professor olhou para mim com uma cara de quem nunca mais ia me deixar entrar na aula dele. Fiquei fitando ele com o mesmo olhar. De repente ele berrou de tal forma que estrondeou todos os vidros da sala e quase me deixou surda, além, de molhada de saliva (ECA#
 - QUAL É A HIPÓTESE DE DALTON?
 - A MATÉRIA É FORMADA POR PARTÍCULAS ESFÉRICAS INDIVISÍVEIS, INDESTRUTÍVEIS E INTRANSFORMÁVEIS CHAMADA ÁTOMOS. - respondi ao mesmo tom - e você não pode gritar com um aluno segundo as normas do MEC (Ministério da Educação).
 - Desculpe, eu me estressei - corrigiu-se ele rapidamente quando coloquei a tal das normas no meio, afinal, estamos em uma Universidade qualquer coisa é motivo para ele ser despedido. - Não conte nada a ninguém, nenhum de vocês.
Postar um comentário