quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Continuação do meu sonho

Eu sentada, no meio da igreja vi que ali não havia nada que pudesse me ajudar, comecei até a ficar com medo daquele lugar. Quando sai... OMG! Lembram que eu disse que parecia que dava para ouvir as árvores crescendo? Não era por causa da calmaria, elas realmente estavam crescendo e a cada segundo ficavam mais gigantes, eu tentei correr por elas e voltar para o beco, mas para onde eu ia elas criavam uma barreira de raízes me fazendo tropeçar, barreira de folhas e cipós, estava cada vez mais apertado, elas estavam se fechando contra mim, De repente me senti sufocada, sem conseguir respirar, me mexer ou ver um palmo além nariz ~~ ou mesmo ver meu nariz ~~ senti meu corpo cansar até desistir de tentar.
Mas num milésimo de segundo me vi deitada numa maca, no meio de sala que parecia de laboratório, quando saltei da cama uma sirene infernal começou a tocar ~~ como a que soava hoje no inter 2 (ônibus que eu uso para voltar da escola) ~~ meu corpo todo a tremer como se eu tivesse sendo atacada por alguém, mas meus olhos não viam nada, não tinha mais ninguém no quarto, ou eu não podia vê-los.
Comecei a correr mesmo tremendo, tinha uma janela bem pequena num canto escuro do quarto, e estava escrito 'EMERGENCY' não pensei duas vezes, empurrei tudo e todos que estavam na minha frente e pulei da janela, enquanto caia procurei pensar o que estava acontecendo porque mesmo que eu estava ali... OMG! Eu começava a esquecer. Pensei mais e mais até que reparei que eu estava caindo e comecei desesperadamente a gritar, me virei no ar e percebi que não havia um "chão" onde eu cairia e comecei a bater os braços como se fossem asas e comecei a voar, voando ali tranquilamente no meio do nada consegui lembrar do meu amigo, da escola e que aquelas tristezas que me consumiam eram tão banais.
Tudo estava muito tranquilo, quando algo passou de raspão próximo ao meu braço, não deu para ver o que era, mas logo passou outro abaixo de mim, e no braço novamente. Quando olhei para trás vi morcegos gigantes voanda atrás de mim e atirando jujubas imensas, estávamos indo em direção a uma nuvem negra, entramos nela e eu não conseguia ver mais nada, comecei a ficar desesperada, eram jujubas para todo lado e de tão desesperada esqueci de continuar a bater os braços e voltei a cair, só que agora bem mais depressa do que antes, caindo muito rápido mesmo e os morcegões vinham atrás de mim atirando.
Estava começando a ficar nítido o chão, parecia uma medonha vastidão preta, parecia uma espécie de borracha que ficava cada vez mais perto, mais perto, mais perto e... Aí! Aquilo era muito duro mesmo, não parecia mais borracha, não sei o que parecia. As jujubas pararam de cair e os morcegos foram embora parecia "gritar" de medo. Não entendi.
Fui andando para um lugar mais alto tentando ver se havia algo no meio daquilo tudo, um ser ao menos. Nada!
Oooaaaahhhh! O chão começou a mexer,  escorreguei lá de cima e fui parar no meio de duas montanhas estranhas, fui escorregando para frente, quando vi ... DOIS OLHOS!! E tinha algo diferente naqueles olhos, algo que eu conhecia, não sabia de onde. Eu conhecia sim aquele olhar, muito assustada fiquei olhando para eles implorando para que eles não me percebessem, mas ele perceberam a minha presença e se mexeu de novo e eu escorreguei para algo que parecia o nariz da coisa. Dali eu conseguia olhar perfeitamente para aqueles olhos amendoados, eu olhava para ele e ele para mim. Quando eu me toquei que era o olhar do meu amigo, que implorava por ajuda para ser liberto do que quer que fosse aqui e voltar para o nosso mundo. Voltar para o nosso mundo, era o que eu mais queria também.
Ele me colocou em sua pata e de longe pude ver, era um dragão. Pedi para ele se abaixar sua enorme cabeça, a medida que eu me aproximava dele ele ficava menor e ia mudando seu grande cabeção, para um pequeno rosto. Ele voltou a ser humano, mas estava totalmente  sem forças e cansado, deitou-se e dormiu, deitei do lado dele abraçando-o e adormeci também ~~ estava começando a gostar daquele lugar hehe' ~~
Quando acordamos no outro dia, fomos até um riacho que tinha ali perto nos banhamos (de roupa mesmo), depois estávamos sentados ele olhou para mim e disse "Obrigado" eu fui responder "Não fiz ma..." ele me interrompeu com um beijo. Abrimos os olhos e estávamos no colégio, lá na parte de trás. As meninas não estavam mais ali, não tinha mais ninguém no colégio, olhei no relógio e reparei o porque era seis horas ainda. Ficamos esperando para contar para todo mundo como era "O Outro Lado do Portão".
Postar um comentário