quinta-feira, 28 de julho de 2011

Episódio 4# - Parte 5

 Na hora do recreio, Barbara foi encontrar-se com Pedro e Edward ouvindo os pensamentos de Pedro ficava cada vez mais decidido a deixar o mundo, depois de um século de existência.
 Dois dias se passaram e os pensamentos do Pedro não mudavam, nem sobre o que ele queria com ela, nem sobre o que ele interpretava d'ela querer com ele.
 Como era quinta-feira Barbara foi almoçar num restaurante com seu pai - ela sempre vai nas quintas porque é quando o pai pode sair para almoçar fora do trabalho.
A única forma de excluir um vampiro do mundo mortal é queimando-o.
 E muito longe dali, Edward pegava seu carro e ia para outra cidade, chegando na outra cidade, num arvoredo muito distante da região urbana, saiu do carro pegou um urso que Barbara havia lhe dado de presente enquanto eram namorados cheirou-o, passou-o no rosto para sentir o cheiro que ela tinha deixado na pelúcia e o lançou bem longe.
 Pegou um garrafão de combustível e molhou todo o carro, por dentro e por fora, colocou o garrafão no porta-malas novamente e entrou no carro, sentando-se no banco do motorista que estava todo encharcado, abriu o porta-luvas pegou uma caixa de fósforos, pegou um palito, acendeu-o e o jogou para trás.
 No exato momento em que por coincidência (ounão!, no restaurante Barbara teve uma convulsão - maior desastre para quem já estava super machucada - bateu a cabeça na mesa e desmaiou...
Postar um comentário