terça-feira, 2 de agosto de 2011

Episódio 4# - Parte 8


 Dakota ficou sozinha no quarto com a mãe, porque Karlio saiu para atender o celular. Pediu então para a mãe "mamãe, chama o papai" e ela respondeu "querida seu pai está trabalhando" "eu quero o papai" retrucou ela, mas Dakota tentou explicar "ele já saiu para almoçar, ficou um tempo aqui, mas você não acordou ele teve que voltar, agora não dá para ele vir", Barbara piscou três vezes os olhos bem lentamente a cada piscada seus olhos estavam mais cheios d'água e na última começou a chorar e entre os soluços dizia "eu quero o papai, eu quero papai".
 Dakota abraçou ela e disse que ia ligar para tentar falar com ele, ela parou de soluçar e disse que não precisa mais porque ela não ia conseguir. Ela se encostou na mãe e ficou deitada ouvindo os batimentos cardíacos da mãe, ela sempre fazia isso quando estava triste, devia ser para ter certeza de que a mãe estava viva e que não ficaria sozinha novamente.
 Enquanto isso no celular de Karlio era Rosalie dizendo que havia um incêndio tenebroso na propriedade de Cafile Mantigi e que só podia ser o Edward.
 Rosalie e Jasper foram para Cafile e viram o tumulto de pessoas, os bombeiros, vários policiais, a área incendiada fora tão grande, que nem dava para ver o que começou, eles precisavam saber, mas se se aproximassem correriam risco de existência, mas somente o terror de estar ali ao lado daquele fogo degradando tudo ao seu redor, sem nem se importar se alguém ali tinha sentimentos, já era o suficiente para ter certeza de que Edward já estivera ali.
 Eles tinham que avisar Alice e Esme, não queriam fazer isso por celular. Foram para casa chegando lá não sabiam como dizer isso, gaguejavam, se entre-olhavam não tinham ideia de como dar a notícia para Esme e a cada segundo que se passava, parecia que Esme já sentia o peso da dor.
Normalmente um vampiro não tem sentimentos, mas pode criar laços e se apegar. Quando esses laços se rompem acontece o que chamam de Medortris. 
Esme teve uma medortris. Uma medortris uma tristeza muito profunda que o vampiro quer se esconder, mais ou menos como os elefantes quando vão morrer.
Postar um comentário